Como emoldurar pôsteres em casa de forma econômica e profissional – parte 1

Foto original: decobuzz.com
Foto original: decobuzz.com

Há algum tempo eu li na Internet que um dos marcos de entrada na vida adulta é a substituição dos pôsteres colados na parede com fita adesiva por pôsteres arrumadinhos em molduras. Isso me fez lembrar das “coisas” de adolescente coladas de qualquer jeito na parede do meu quarto, nas portas e no espelho do meu armário e cheguei à conclusão de que essa ideia faz sentido!

Na verdade, as formas de exibir um pôster, foto, pintura ou objeto são infinitas e tem a ver com o espaço e a forma como você se relaciona com o dito cujo. Não tem certo ou errado.

Só que tem horas que você quer uma moldura, digamos, mais convencional. E esta moldura é bacana porque valoriza e protege a obra e ainda pode ser customizada de forma criativa e única.

E agora você me pergunta: “Mas, eu consigo emoldurar alguma coisa em casa?” E eu te respondo: “Sim, sim, sim! E ainda economizando muito dinheiro, com qualidade e com inúmeras possibilidades!”

Se você levar uma imagem de tamanho A4 para qualquer lugar que faça molduras aqui no Rio de Janeiro irão te cobrar entre R$150 a R$200 fácil, fácil! Mas, a mesma imagem emoldurada por você com passepartout e vidro pode sair por uns R$60!

Tudo bem que pode ser uma obra que precise ser conservada da melhor forma possível, mas também pode ser aquela imagem que você baixou da Internet e imprimiu por menos de R$10. Ou pode ser uma foto que custou R$5 para ser produzida. Aí, vamos combinar, não vale a pena esse investimento todo.

Principalmente, se você cair na besteira de levar a sua imagem a uma vidraçaria!

Antes de começar a preparar as minhas molduras em casa, já tinha ido a vidraçarias para emoldurar pôsteres e nem sempre foi ruim. Mas, das últimas vezes me aborreci muito com a falta de capricho e descaso que tiveram comigo! Para você ter uma ideia, depois de já ter reclamado de moldura lascada e de montagem mal feita, chego na vidraçaria pela terceira vez e me deparo com isso.

4 - Gancho de porta-retrato

Colocaram garrinhas de porta-retrato (!), tortas, presas com pregos em volta de toda a moldura para segurar o fundo do quadro. Fiquei tão danada que saí de lá reclamando e nem terminei de fazer a serviço com eles.

Aí, entrei numa molduraria super-pequena, escondida numa galeria aqui do bairro, para comprar o vidro e o rapaz mediu tudo, fez o corte e disse: “Quando for montar o quadro, pegue o vidro pelas laterais para não deixar marcas porque ele já está limpo.” E ainda colocou os grampos flexíveis na parte de trás da moldura sem cobrar nada a mais! Esse profissional sabe o que faz e o que se espera dele. Ganhou uma cliente para o resto da vida!

4 - Grampo de moldura

Então, repita comigo:

Vidro é na vidraçaria, moldura é na molduraria. Mais uma vez: vidro é na vidraçaria e moldura na molduraria!

Vamos agora começar listando o material necessário.

Pôster

Pode ser um pôster, uma foto, um desenho, uma pintura, o que você tiver aí na sua casa esperando ganhar aquele lugar de destaque na parede!

Moldura

Hoje só vou a uma molduraria se eu quiser uma moldura com dimensões exatas para, por exemplo, garantir a mesma distância da imagem até a borda nos 4 lados do quadro ou se quiser uma moldura com cor ou detalhes bem específicos.

Se não for este o caso, você encontra molduras prontas na internet, em lojas de decoração, como Tok&Stok, ou até em lojas de mercados populares e de fotografia. O mais legal é que essas molduras são bem mais em conta e podem ser customizadas sem medo ou pena. (Aguardem post sobre esse assunto!)

4 - Molduras diferentes
Várias opções de molduras prontas!
1, 2 e 3 – Leroy Merlin
4 e 5 – Mestres Decor
6, 7, 8 e 9 – Tok&Stok
Passepartout (lê-se “paspartu”)

O passepartout é aquela borda interna de papel cartão que fica entre a imagem e a moldura externa e cuja principal função é evitar que a sua obra fique encostada no vidro. Podemos dizer que também é um recurso legal para valorizar o trabalho, mas o objetivo principal é proteção e conservação.

Ele é formado por 3 camadas:

  • Frente – É o papel com a cor do passepartout.
  • Miolo – É a camada que garante a rigidez e a espessura do passepartout. Ela também pode ser colorida, mas os miolos mais comuns são creme, preto e branco.
  • Verso – É a camada que fica em contato com a imagem, então sua principal característica tem que ser uma superfície neutra e livre de ácido para não danificar a obra.
Passepartout azul com miolo branco e corte chanfrado. Autor: Jacek Nowacki
Passepartout azul com miolo branco e corte chanfrado.
Autor: Jacek Nowacki

Os passepartouts são comercializados em folhas grandes, tipo 1,00 x 0,80 m ou 1,00 x 1,20 m, e podem ser muito caros ou bem em conta, tudo dependendo do material usado na sua confecção. As folhas feitas com fibras de algodão e usadas em obras de museus podem custar mais de R$400! Entretanto, uma folha com miolo de celulose e verso livre de ácido pode ser encontrada por uns R$30 em papelarias ou lojas que vendem papéis.

Você está gostando deste artigo? Então siga ACL pelo Facebook!

 

Superfície para corte, estilete e régua

Esse material será usado para cortar o passepartout. Existem ferramentas específicas para fazer corte preciso e chanfrado, mas não tenho uma dessas e acho que o investimento só vale a pena se você pretende usar muitas e muitas vezes ou se faz questão do corte chanfrado!

4 - Cortadores de passepartout

Sendo assim, como superfície de corte, você pode usar aquelas placas verdes com marcações, um pedaço de acrílico, eucatex ou qualquer superfície plana que possa ser riscada.

Em relação ao estilete, já usei vários, mas o que funciona melhor foi um super-barato comprado em loja de material de construção. Ele é maior, tem uma “pegada” ótima e corta com precisão. A marca do meu é Cartonero, mas acredito que existam outras marcas similares a esse tipo de estilete.

4 - Estilete
Meu estilete preferido é esse Cartonero à direita.

A régua que eu uso é de 60 cm em metal. Acho que é a melhor opção de comprimento e apoio para o estilete. E essa régua também pode ser usada para fazer as medidas do corte do passepartout.

Papel alcalino ou livre de ácido

Esse papel deverá ficar atrás da imagem para evitar que ela fique em contato com o eucatex. O eucatex é o material mais utilizado como fundo de moldura, mas, infelizmente, não é bom do ponto de vista de conservação, pois, por ser muito ácido, facilita o amarelamento da obra emoldurada.

Colocando um papel entre a imagem e o fundo, você deixará a sua obra mais protegida. Eu uso qualquer papel livre de ácido, ou “acid free”, que tiver em casa. É só procurar a informação na embalagem do produto.

4 - papel acid free

Materiais mais nobres e adequados para serem usados como fundos de molduras são placas de plástico polionda ou de foam board. Mas, sem neuras, o bom e velho eucatex funciona bem desde que tomemos essa precaução!

 

Esse é o material básico para você mesma emoldurar suas “ideias” de forma simples, barata e com o mínimo de cuidado para prolongar a durabilidade da sua imagem.

Indicações adicionais para os cariocas:

Esse mundo de molduras e conservação de obras é rico e apaixonante. Estou longe, muito longe, de ser especialista e o post é fruto do meu aprendizado, das minhas pesquisas e experiências depois que comecei a pintar aquarelas e a vontade de emoldurar e conservar minha singelas pinturas começou a tomar conta de mim.

Por isso, a primeira indicação vai para minha querida professora de aquarela Chiara Bozzetti que é artista profissional e sabe muito desse assunto. Ela tem um ateliê fofo em Laranjeiras e é uma pessoa que divide seus conhecimentos de forma muito generosa!

ateliechiaroscuro.com

Se desejar comprar material mais profissional para a sua moldura, existem lojas no Rio de Janeiro que vendem molduras e produtos para serem utilizados no processo.

molducenter.com.br

molvil.com.br

Eu compro meu passepartout na papelaria JLM, no Largo do Machado, mas sei que lojas especializadas em papel também vendem as folhas.

jlmpapelaria.com.br

dritter.com.br

Bom, agora vem a parte legal! A continuação desse post está em Como emoldurar pôsteres em casa de forma econômica e profissional – parte 2 e eu mostro passo-a-passo como você vai deixar a sua imagem tininho e lindona dentro de qualquer moldura. Não deixe de ler!

Divisor arabesco vinho

E se você tiver dúvidas ou quiser compartilhar alguma sugestão ou detalhe importante que eu possa ter esquecido, escreve aí embaixo!

Obrigada por chegar até aqui comigo…

Grande beijo,

Beth.

Compartilhamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inline
Inline